Category Archives: Coisas de mulherzinha

Chocolate com pimenta

Primeiro domingo com temperatura abaixo dos 20ºC em minha cidade durante esse verão caótico. Dia tradicional de faxina em casa e de cozinhar algo que não seja enlatado, processado ou com mais conservantes que as necessidades diárias pedem.

Empolgada com o resultado do filé de peixe com molho gorgonzola, servido com cenouras e arroz integral, resolvi que seria boa ideia ter uma sobremesa a altura.

De preparo extremamente simples, este bolo de chocolate fica rico por conta dos detalhes. É assim:

Para o bolo, 3 xícaras de farinha de trigo, 1 xícara de chocolate em pó, 1 xícara de açúcar, 3 ovos, 1 xícara de leite, três colheres de sopa de manteiga e 1 colher de chá de fermento em pó. É só misturar tudo até obter uma massa homogênea e colocar para assar. Eu optei por uma assadeira grande, assim a altura do bolo não fica muito grande e a gente pode usar muito mais calda. <3.

Para a calda, essa linda, usei uma xícara de açúcar, 1 xícara de chocolate em pó, meia xícara de leite, uma colher de manteiga, duas doses de conhaque e… PIMENTA! Sim, pimenta. Eu usei uma mistura de pimenta preta e pimenta branca, moídas na hora… Cerca de uma colher de chá. Tudo na panela, mexendo sempre até engrossar e ficar em ponto de calda.

Aí foi só unir o útil ao agradável, ou seja, despejar a calda no bolo, e servir com aquele cafezinho passado na hora. Não tem coisa melhor.

Tagged , , , , , , , , ,

Torta do amor


Marido voltou a estudar e estou orgulhosa. Depois dos 30, sentar no banco de universidade não é fácil… Ainda mais em outra cidade, o que o faz ter praticamente a minha rotina dos últimos anos… Acordar antes de o sol nascer e dormir depois que a noite já passou de sua metade todos os dias.

Hoje foi o primeiro “sábado da redenção”, quando meio dia parece ser uma boa hora para abrir os olhos. Para dar-lhe forças, resolvi que o almoço, que aconteceu na verdade agora há pouco às 18h, deveria ser de conforto. E o que melhor que uma bela tora de liquidificador pra deixar a barriga quentinha e cheia por um bom tempo¿ Eu fiz assim:

2 ovos, 1 xícara de farinha de trigo, 1 cebola picada, 2 xícaras de leite, 1 xícara de óleo, 4 colheres de queijo ralado, 1 colher de fermento e sal no mixer até virar uma mistura homogênea.

Pro recheio, carne moída, só que de soja, sim, porque eu também queria comer, né¿ Então hidratei 1 xícara de PTS (proteína texturizada de soja) e temperei com molho de soja e caldo de legumes. Refoguei com azeite e cebola e acrescentei azeitonas verdes picadas, salsa e cebolinha da minha horta. Aí foi só montar: massa, recheio, massa… E cobrir com queijo ralado. Assou no forno médio por 20 minutos e ficou assim, lindona. Comemos com arroz integral. Delícia.

Tagged , , , , , ,

Açúcar e afeto


Já disse aqui do prazer reconfortante de um bolinho de chuva feito por quem a gente ama. Hoje, no entanto, foi meu dia de colocar a mão na massa e fazer aquela bagunça na cozinha pra fazer bolinho de chuva pra quem eu amo.

Nem tá chovendo, diriam os críticos… Mas eu nem me importei. A vontade era tanta que lá fui eu: dois ovos, meia xícara de açúcar, uma xícara de farinha de trigo, uma xícara de leite e uma colher de chá de fermento em pó. Mistura tudo, óleo bem quente, açúcar e canela em volta e voilá, pedacinhos de amor pra gente se deliciar num domingo à tarde.

Tagged , , , ,

Lena’s redemption

Post passado falei sobre como nos subtemos a um tudo para nos enquadrar em padrões que, nem sempre, são o melhor pra gente. Falava sobre Lena Dunham e seu vestido couture para a premiação do Globo de Ouro e como ela parecia sufocada dentro dele. (Quem quiser ler, venha por aqui).

O que mais me incomodou naquele vestido foi que Lena é pra mim quase que uma inspiração. Com corpo de gente normal, se veste – aparentemente – do jeito que quer e discursa proclamando a liberdade por aí.

Fiz uma catança de fotos dela por aí pra me lembrar que, apesar do deslize, ela é continua a inspirar.  Alguns cliques estão abaixo. Para ver outros, clique aqui.

Tagged , , , , , ,

Lena Dunham e o vestido do medo

Não sou formada em modas nem nunca trabalhei com isso. Sou, como muitas mulheres mundo a fora, apenas interessada pelo assunto. Não sou aficionada, já disse isso aqui, mas gosto de saber da história, das tendências, dos estilos… E estou sempre de olho nas pautas sobre o tema, até porque, vestir um corpo 48 não é fácil e, se você não estiver atenta às tendências ou até mesmo não souber o que é clássico, corre o risco de cair no lugar-comum das roupas pretas que “emagrecem” ou nas roupas de viscose que nossa tia-avó usa. Aí não dá.

Dito isso, gostaria de comentar – e deixo claro, mesmo que o texto fique redundante, sob meu particular e único ponto de vista – um look do red carpet do Golden Globe, que aconteceu ontem à noite.

Entre tantas estrelas lindas e bem vestidas, entre denúncias de monotonia e mesmice como este post do Petiscos manda, Lena Dunham, a escritora/atriz do momento, premiada por Girls, série favorita dos últimos tempos, deixou toda sua autenticidade de lado para entrar num vestido tão desconfortável a ela que ofuscou seu discurso e seu entusiasmo pelo feito. Isso sem falar na cor pavorosa da roupa, que a deixou apaga.

Ela mal conseguia andar, se mexer, falar… Ficou escorando nos outros e o pior, ao erguer a saia para dar passos tortos, quase mostrou o que não devia. Veja clicando aqui.

Oras, Lena, uma moça tão incrível, com ideias tão brilhantes, pode – e deve – vestir o que quiser, o que lhe cai bem, o que lhe faz sentir bem. Nós, moças que te admiramos, esperamos ver isso de você.

Como a gente gosta de ver

Como a gente gosta de ver

-).

Tagged , , , , , , ,

Recebendo os amigos

Ontem foi dia de receber os amigos em casa e colocar a mão na massa para preparar um delicioso peixe. Há seis meses, no mínimo, sem cozinhar, acho que o resultado foi satisfatório… Pelo menos sobrou quase nada.

O prato foi inspirado neste aqui, mas com algumas modificações. A receita é a que segue, espero que gostem.

Tilápia assada ao molho (para 8 pessoas)
Para o peixe

  • 12 filés de tilápia (ou qualquer outro peixe branco)
  • 4 cenouras grandes
  • 6 tomates
  • 100g de castanha de caju moída
  • 50g de parmesão fresco ralado
  • Salsa e cebolinha à gosto

Para o molho

  • 1 litro de leite
  • 2 colheres de sopa de amido de milho
  • 1 cebola média
  • 150g de parmesão fresco ralado
  • Noz moscada e sal à gosto

Preparo

  • Limpe os filés de peixe e deixe-os em uma marinada de sal, limão, azeite e pimenta. Enquanto isso, limpe, corte e cozinhe as cenouras para ficarem ao dente, corte os tomates em quatro, tire as sementes e reserve, pique a cebola, a salsa e a cebolinha em cubinhos, triture a castanha de caju e reserve tudo. Refogue a cebola no azeite e acrescente o leite com o amido de milho dissolvido. Quando estiver engrossando, desligue o fogo e acrescente o parmesão. Tempere com sal e noz moscada. Monte a assadeira com molho, cenoura e tomate, peixe, molho, castanha, salsa e cebolinha e, por fim, queijo. Asse por 20 minutos em forno médio. Sirva com arroz branquinho e bons drinks.
Tagged , , , , , , , , ,

Comida e afeto

Bandeja de peixe do Jamie Oliver, adaptada pela minha mãe, que adaptou da Maria

Bandeja de peixe do Jamie Oliver, adaptada pela minha mãe, que adaptou da Maria

Tenho falado aqui há meses sobre levar uma vida mais saudável, me alimentar melhor, sem exageros etc. Desculpa habitual para fugir da dieta, no entanto, são os finais de semana, feriados e, principalmente, festas de final de ano, quando todo mundo dá aquela pisada na jaca e manda todos os exercícios e shakes diet pro espaço.

Pois eu tentei ser bastante ponderada nesse dezembro que passou e confesso orgulhosa que consegui, mas olha… Não foi fácil. A sorte é que eu tenho uma mãe que me compreende e me incentiva na dieta e amigas – sim, amigas, que eu visito todos os dias – virtuais como a Maria, do Diga Maria, que colocaram a mão na massa por mim e fizeram esta receita DIVINA dele, Jamie Oliver, que mais uma vez me encantou.

O resultado? Uma ceia leve e deliciosa que compartilho com vocês agora. Tá, ok, Natal e Ano Novo já passaram, né? Mas é uma receita para o ano todo, vai por mim.

Bandeja de peixe do Jamie Oliver, adaptada pela minha mãe, que adaptou da Maria

Para a bandeja

  • 4 filés de salmão (150 g cada), com pele, sem escamas e sem espinhos
  • 8 camarões grandes com casca (olha, eu sou alérgica a camarão, por isso o eliminei da receita. no lugar, usei batata salsa, a famosa mandioquinha, e olha… sem palavras sobre como ela ficou boa)
  • 1 maço de aspargos
  • 1 limão siciliano ou tahiti
  • 1 pimenta vermelha fresca pequena e sem sementes
  • 1 maço pequeno de manjericão fresco
  • 5 filés de anchova em conserva
  • 4 dentes de alho
  • 2-3 tomates médios
  • 4 fatias de bacon (eu tb não como bacon, mas mantive na receita para as outras pessoas que adoram)
  • Azeite, pimenta-do-reino moída na hora, sal

Coloque numa assadeira – grande e que possa ir pra mesa – os camarões e os filés de salmão com a pele para cima. Se for fazer com a mandioquinha, descasque, cozinhe e dispnha na assadeira. Elimine a parte dura do talo dos aspargos, tempere com sal e pimenta e os coloque na assadeira. Acomode também o limão cortado em quatro. Pique bem fina a pimenta vermelha e a distribua na assadeira junto com as folhas de manjericão. Desmanche os filés de anchova e os salpique pela travessa junto com o óleo da conserva. Esmague os dentes de alho com casca, coloque-os na travessa e regue com azeite. Corte os tomates em quatro e acomode-os. Distribua por cima as fatias de bacon e coloque a assadeira sob o grill quente, na prateleira do meio do forno, por 10 minutos ou até o bacon ficar crocante e o peixe cozido. Dica: se quiser montar a travessa com antecedência, deixe para cortar e colocar o limão na hora de levar ao forno.

Para o molho

  • Folhas de 1/2 maço de hortelã fresca
  • 1 maço pequeno de salsinha fresca
  • 1 dente pequeno de alho
  • 2 colheres (sopa) de vinagre de vinho tinto
  • 1 colher (chá) bem cheia de mostarda Dijon
  • 1 colher (chá de alcaparras
  • 2 pepininhos em conserva
  • 2 filés de anchova em conserva
  • 4 colheres (sopa) de azeite

Coloque num processador – ou num mixer, ou no liquidificador – as folhas de hortelã e as de salsinha (descarte os talos). Junte 1 dente de alho descascado, os filés de anchova, o vinagre, a mostarda, as alcaparras, os pepinos e o azeite. Bata até combinar tudo, experimente e acerte o sabor se necessário. Transfira para uma tigelinha e leve à mesa.

Jamie, Maria, mãe: OBRIGADA!

O post da Maria você confere clicando aqui.

Tagged , , , , , , ,

Resoluções para 2013

Depois do balanço das resoluções para 2012, chegou a hora de fazer a lista para 2013.

Determinação

Determinação

É a primeira vez que faço isso dois anos seguidos e, por isso, as propostas se tornaram mais realistas, já que pude avaliar e separar aquilo que de fato preciso fazer daquilo que é uma vontade. Não que vontades devam ficar em segundo plano, mas depois da dureza que foi o 2º semestre de 2012, as prioridades para este início de ano devem ser mais focadas e levadas a sério.

Follow me:

  • Cuidar da minha saúde. E isso inclui praticar esportes, ir ao médico, cuidar da alimentação, fazer terapia…
  • Economizar. Talvez este continue sendo meu maior desafio. Maior até que perder peso.
  • Dar continuidade ao projeto CELEBRAÇÕES. Fazer o que eu gosto e ainda ganhar direito. Tem que dar certo.
  • Ser uma amiga melhor. TODOS meus amigos merecem.
  • Ser uma esposa melhor. Meu marido merece.
  • Dar continuidade ao projeto CARREIRA ACADÊMICA. Isso inclui escrever e publicar artigos e participar de congressos.
  • Ter novas experiências. Viajar, dançar, sair, ir a shows, conhecer pessoas… VIVER.

Let’s do it?

Tagged , , , , , , , , , , , ,

Resoluções de Ano Novo – Um balanço

Dia 27 de dezembro de 2011 escrevi este post aqui com minhas resoluções para 2012. Um ano se passou e, antes de fazer a lista de 2013, decidi fazer uma avaliação do que conquistei e do que passou em branco neste ano, para repetir os sucessos e eliminar as derrotas. Vamos comigo?

OMG.

OMG.

  • Obviamente emagrecer 52 Kg (tá; é exagero, mas a gente pede a mais e se contenta com o que vem); A briga foi feia e nem cheguei perto dos 30 Kg que, de fato, eram a meta. “Meu foco precisa de mais foco”.
  • Guardar dinheiro (inadmissível eu não ter meu “pé de meia” até hoje); ZERO. Sem falar que pedi demissão do emprego e saí sem indenização alguma. Definitivamente é um ponto que precisa ser trabalhado.
  • Trocar de carro; Nada ainda.
  • Mudar de casa, de cidade… Continuo em Mogi das Cruzes, temporariamente em Caraguatatuba. No entanto, não quero mais ir para São Paulo.
  • Abrir meu próprio negócio; Projeto em andamento. http://www.asarruda.com.br.
  • Sair mais; Ainda menos do que gostaria.
  • Cultivar melhor minhas amizades; Estou melhorando.
  • Me estressar menos; Não… Ainda sou a Miss TPM.
  • Começar o doutorado; Projeto em andamento.
  • Ler mais; Ok. Aumentei a quantidade de livros no ano.
  • Me vestir melhor; Ainda não como eu gostaria.
  • Manter minha casa mais arrumada; Ok.
  • Viajar para fora do Brasil; Ainda um sonho.
  • Viajar pelo Brasil; Paraty-RJ no Carnaval.
  • Ir a mais shows; Slash em 6/11/2012.
  • Aprender a costurar; Gargalhando neste momento.
  • Ficar rhycca, phamosa e phynna; Sem comentários.
  • Atualizar o blog com mais frequência; Ok, missão cumprida.
  • Ir mais ao médico (pelo menos para as consultas de rotina); Nenhuma consulta em 2012.
  • Voltar ao Kung Fu; Encontrar meu antigo professor em dezembro conta?
  • Me alimentar melhor; Ok, estou conseguindo.
  • Cozinhar mais; Ok, algumas receitas novas foram testadas.
  • Ser mais determinada; Hunn… Sei não.
  • Terminar aquilo que começo; Idem.
  • Cumprir a lista de resoluções… E aí? O que você acha?
Tagged , , , , , ,

Sobre prazos e metas

Marilyn: linda, loira e gordinha.

Marilyn: linda, loira e gordinha.

Todo processo de emagrecimento ou é lento, ou é doloroso, ou é sacrificante, ou todas essas coisas juntas. Não tem escapatória. Emagrecer é muito mais do que fechar a boca, praticar exercícios e contar calorias. Emagrecer é quase um estado de espírito em que você se encontra, ciente de que, para chegar ao peso ideal, sua vida não vai mais ser a mesma.

Quem diz que “come de tudo e não engorda” não faz a mínima ideia do que é, para quem tem problemas de sobrepeso e obesidade, emagrecer. A minha vida inteira foi assim: dieta atrás de dieta, decepção atrás de decepção.

Digo isso porque quem faz dieta sempre espera um milagre. Meu sonho, por exemplo, é ir dormir um dia e acordar magérrima na manhã seguinte. Quem nunca?

Pois bem, nessas, a gente estipula prazos malucos e metas absurdas que, se forem cumpridos, certamente te deixarão carente de nutrientes ou, pior, se não forem, o que é a coisa mais natural do mundo, te farão ficar frustrada e se sentindo a pior das fracassadas. Eu já experimentei as duas coisas.

Em um determinado período da minha vida, emagreci 17 quilos em menos de um mês simplesmente parando de comer. Sério. Eu não comia nada. O que aconteceu? Oras… Além de meu cabelo cair minha unha quebrar, minha pele ficar sem brilho e meu ciclo mestrual se desregular inteiro nos meses seguintes, a mudança foi tão radical e rápida que eu me olhava no espelho e não me achava magra. Legal, né? O resultado foi a história que já cansei de contar aqui: nos três anos seguintes eu engordei os 17 quilos e mais 13 adicionais.

A outra experiência, no entanto, é mais comum, porém não menos perigosa. Ao estipular emagrecer 5 Kg por semana, e subir toda sexta na balança e ver que nada disso aconteceu, a gente se sente derrotada e vai descontar as mágoas no primeiro pão doce que aparece na nossa frente. C’est la vie.

Para terem uma ideia, depois que estipulei emagrecer 30 quilos até o casamento da minha irmã, o que notoriamente não aconteceu, engordei mais 2 quilos. Frustrante? Imagina…

O que eu tiro disso tudo é simplesmente a introdução deste texto: emagrecer é um estado de espírito. Posso até ter uma meta, mas cumpri-la significa mudar toda minha vida e não simplesmente um período louco de abstenção e fome. Agindo assim, completo uma semana de exercícios físicos contínuos e de alimentação balanceada. A balança? Bem… Daqui uns dias me verei com ele. Volto para contar.

Tagged , , , , , ,